Exercícios físicos ao ar livre promovem uma série de benefícios para nossa saúde


Exercícios físicos ao ar livre promovem uma série de benefícios para a saúde do indivíduo. As vantagens são inúmeras: Aliviam o estresse, melhoram o humor, promovem o emagrecimento saudável e proporcionam mais qualidade de vida. “Se as pessoas soubessem dos benefícios de se exercitar ao ar livre, não dispensariam essa oportunidade. Os benefícios estendem-se a prevenção de males como diabetes e hipertensão”, explica o professor técnico do Departamento de Gestão da Educação na Saúde, do Ministério da Saúde, Rodrigo Honorato.
Praticidade e baixo custo também são grandes atrativos. Honorato afirma que na hora de escolher qual atividade praticar o mais importante é se identificar com o exercício. Assim, as chances de continuar com a prática são maiores. “Quando a pessoa gosta da atividade, ela se sente bem. Se decidir por fazer algo que não gosta, há grande possibilidade que ela abandone a atividade”, diz.
Antes de qualquer atividade física, é fundamental alongar o corpo. O alongamento evita contusões durante a prática dos exercícios e melhora o condicionamento físico. “Os exercícios de alongamento possuem um papel preventivo muito importante, pois preparam a musculatura e favorecem a recuperação para evitar problemas musculares, articulares e circulatórios. Além de aprimorar a mobilidade e a flexibilidade do indivíduo, têm um papel anti-stress porque permite a obtenção do bem-estar e melhora a consciência corporal”, diz. Ele afirma que um bom alongamento deve durar em uma média de 15 a 30 minutos.
É recomendado fazer ingestão de alimentos leves e saudáveis, antes de praticar qualquer atividade física. Afinal, o corpo precisa de energia durante a prática. “A alimentação é extremamente importante para quem faz exercícios. É ela que fará com que o praticante tenha um melhor rendimento, melhor recuperação pós-treino e menor risco de lesões musculares pós e pré treino”, finaliza.
  • Veja atividades que podem ser feitas com praticidade e baixo custo:
Corrida de rua - Aumenta a produção de endorfina, agilidade e sensação de bem-estar. “As pessoas ficam menos estressadas, sejam 20, 30 ou 40 minutos diários. É uma atividade que colabora na perda de peso e melhora o condicionamento físico”. No momento da pisada, o correto é aterrisar primeiro o calcanhar, fazer uma leve pronação para dentro e estabilizar para a fase de voo, quando a sobrecarga fica sobre os dedos, e assim sucessivamente. O calçado deve ser escolhido de acordo com a demanda de carga sobre a planta do pé. Um bom amortecedor também é importante. Se a pessoa sentir dores, deve procurar orientação.
Caminhada - Controla a pressão, o diabetes, protege contra demência e ainda emagrece. “Melhora da autoestima, previne contra doenças cardíacas, permite maior vascularização do cérebro, aumentando o grau de raciocínio, agilidade e outros”. É importante escolher um tênis apropriado e confortável.
Bicicleta - Andar de bicicleta mexe com todo o corpo, principalmente pernas, coxas e braços. “É uma atividade que mexe com a musculação completa, trazendo condicionamento físico e colaborando na perda do excesso de peso”. A musculatura das pernas é a mais exigida. É fundamental o uso de capacete.
Patins - Melhora o condicionamento cardiorrespiratório. Diferentemente da corrida, é um exercício de menor impacto para o corpo. “Aumenta a resistência muscular, traz mais flexibilidade, agilidade e mobilidade articular para o corpo”. Também desenvolve o equilíbrio corporal e a capacidade de reação. Ajuda na definição muscular, principalmente das coxas, das pernas, das nádegas, do abdômen e das costas. É importante utilizar equipamentos de segurança, como joelheiras, cotoveleiras e capacete.
Fonte: Érica Santos / Comunicação Interna do Ministério da Saúde